Todos os Posts

20 MITOS DE BELEZA: MITO 4 – SE ESTUDOS COMPROVAM A EFICÁCIA DE UM PRODUTO, ELE FUNCIONA

Nós adoramos quando alguém fala ‘comprovado cientificamente’ ou então ‘estudos provam que…’, não é verdade? Nós temos a audácia de acreditar em absolutamente tudo quando a ciência está envolvida. Principalmente quando se trata de estudos comprovando a eficácia de um produto cosmético. Da mesma forma que eu mostrei pra vocês que produtos dermatologicamente testados não significa muita coisa, vou contar outro segredinho pra vocês.

No mundo dos cosméticos e dos produtos de beleza nós sempre vemos empresas e grandes corporações nos mostrando estudos provando que tal substância ou produto funcionam e são realmente bons! Só que.. A maioria destes estudos e pesquisas são feitos pelas empresas e manipulados para que o resultado esteja em acordo com o que eles querem passar pros consumidores. As empresas contratam universidades e pesquisadores e fazem apenas um apanhado de estudos manipulados. Na ciência e nas pesquisas sempre haverá uma forma de contornar o estudo para que ele tenha um determinado resultado final, então as empresas de cosméticos pegam estes resultados, colocam na sua planilha de marketing e lançam um produto novo. O mais curioso é que o produto novo praticamente anula o produto ‘anterior’, fazendo com que os consumidores comprem a nova linha de produtos, acreditando que são melhores que os anteriores, por causa dos estudos que comprovam tal eficácia.

Nós temos que lembrar sempre que por mais bacana que sejam os produtos, a indústria de cosméticos é tal agressiva quanto quaisquer outras indústrias. Eles se preocupam com lucro e venda, e farão qualquer coisa pra alcançar a meta anual! Cuidado e sempre compre produtos de empresas que vocês conhecem, confiam e sabem da verdadeira essência delas!

Anúncios
Todos os Posts

20 MITOS DE BELEZA – MITO 2: PRODUTOS TESTADOS DERMATOLOGICAMENTE SÃO MELHORES DO QUE OS OUTROS?

A vida deu uma turbinada tão linda esses últimos dias que eu não tive tempo nem nada acessível pra poder postar pra vocês. Mas estou de volta com o 2º Mito desvendado da saga “20 Mitos de Beleza“!

Hoje eu vim falar pra vocês do famoso termo tão querido por nós nas embalagens de produtos cosméticos. Quem nunca leu “Dermatologicamente testado”, “Hipoalergênico”, “Não Comedogênico”, etc.. Pois bem será que vale a pena optar por adquirir produtos apenas por estes termos inclusos nas embalagens? Eu vim aqui debater com vocês o mito dos produtos dermatologicamente testados.

A Industria de beleza sempre está a procura de termos e ingredientes milagrosos que chamam a atenção dos consumidores. Nós sempre estamos querendo obter o produto mais moderno, mais tecnológico, não testado em animais, que tenha resultados rápidos, eficazes e duradouros. Ufa! É tanta coisa pra analisar antes de comprar um produto de beleza que até cansa! A gente não sabe por onde começar. Mas muita gente fecha os olhos e opta pelos produtos dermatologicamente testados. Afinal, se os médicos falam que ele é bom, deve ser maravilhoso, não é verdade? E os anti alérgicos? Perfeito para peles sensíveis!!! E o melhor de todos: Não comedogênicos, que não irão entupir nossos preciosos e delicados poros! 🙂

Mas será que isso tudo é verdade mesmo? Vamos ver o que a Paula do Paula’s Choice tem a dizer sobre isso..

De acordo com a equipe da Paula’s Choice, não há absolutamente nenhum teste, método, ingredientes, restrições, regulamentações, procedimentos ou regras, em nenhum lugar do mundo que determine se um produto está qualificado ou não para ser “hipoalergênico”. Qualquer empresa pode colocar em sua embalagem que um produto é hipoalergênico, pois não há nada que valide esta afirmação! Não é doido? As empresas fazem isso justamente para atrair consumidores que procuram produtos sensíveis para a pele. E mesmo que os consumidores peçam provas de que este produto é para peles sensíveis e pessoas suscetíveis a alergias, como eles vão provar se não há padrões que regulamentam esta afirmação? Interessante, não é verdade?

A equipe da Paula analisou diversos produtos que contém estas afirmativas na embalagem e por incrível que pareça, vários produtos continham ingredientes que podem acarretar alergias e pequenas reações em peles sensíveis (como vermelhidão, espinhas, cravos, ressecamento, etc.).

O termo dermatologicamente testado também é muito duvidoso e eu vou explicar o porquê disso! Quando lemos dermatologicamente testado ou recomendado por dermatologistas, nós costumamos pensar que os médicos estão realmente interessados em avaliar produtos que são feitos com ingredientes próprios para pele, que funcionem e que valham a pena. Mas nós nunca sabemos quais dermatologistas testaram os produtos, como foram os testes, com quantas pessoas, os resultados. Não sabemos de nada além do ‘dermatologicamente testado’. Além disso, muitos médicos são contratados pelas empresas para afirmar e colocar seu número de registro para que o produto em questão tenha maior credibilidade aos olhos dos consumidores.

Então devemos sempre estar atentos aos ingredientes dos produtos e não apenas no que a embalagem diz!

Beleza, Pele, Rosto, Todos os Posts

Produtos de beleza que contêm Álcool. Tente evitar!

Ahhh, aquela sensação maravilhosa de pele limpa e sem oleosidade quando passamos adstringente ou tônico que contém álcool em sua formulação.. Parece que nunca atingiremos uma pele tão profundamente limpa e sequinha. Pois é aí que mora o perigo. Sua pele pede socorro! E eu explico como!

Untitled-1

O álcool cetílico é peça chave na composição de muitos produtos de beleza, chegando a ser o ingrediente em maior concentração  (já vi produtos com 45% de álcool na composição! Vi isso num adstringente da Neutrogena que eu tenho, choquei um ovo quando vi, haha). Ele é utilizado deixar mais líquidos os produtos que seriam mais consistentes e pegajosos se não tivessem a presença do álcool na composição, além de evitar que os cosméticos estraguem com facilidade, inibindo a proliferação de fungos e bactérias. Bom, na teoria as coisas são lindas, mas temos que olhar com mais cautela e detalhes dos efeitos do álcool na nossa pele.

Quando em grande concentração, o álcool facilita a evaporação da água presente nos poros da pele e diminui a umidade natural da derme. E por que isso se torna prejudicial a longo prazo? Porque as camadas da derme entrar em desequilíbrio, ficam sem saber o que está acontecendo, pela perda constante de água causada pelo álcool presente nos produtos. E com as camadas da derme em desequilíbrio há a possibilidade da reposição de água na pele ficar cada vez mais difícil. Isso causa diversos efeitos colaterais como rugas, linhas de expressão, ressecamento, inflamação na pele, prurido, queimação, pele escamando, aspereza, etc. Em pessoas ainda mais sensíveis pode causar dermatites e outros problemas mais sérios relacionados ao ressecamento excessivo da pele. Além de tudo isso, o álcool causa efeito rebote, fazendo com que a pele produza MAIS oleosidade para equilibrar a falta de umidade na pele. Doideira, né?

Agora será que você vai gostar daquela sensação oil-free e sequinha que tônicos com álcool deixam na pele? Acho que  não! O segredo é sempre observar a concentração de álcool na composição do produto. Me lembro bem a primeira vez que eu comecei a me preocupar com álcool em cosméticos. Foi vendo o filme “Psicopata Americano”, quando no começo do filme o personagem Patrick Bateman cuida da sua pele e narra que utiliza produtos sem álcool porque o álcool envelhece a pele. Isso marcou tanto a minha mente que eu passei a prestar mais atenção neste detalhe. E quando eu vi que o meu adstringente da Neutrogena tinha 45% de álcool na composição, eu quase caí pra trás! Mais fácil pegar álcool de cozinha e jogar no rosto, mais barato, hahaha.

Sempre devemos ficar atentas à composição dos produtos que consumimos e passamos no corpo. Tentem sempre utilizar produtos sem álcool, que agora são bem fáceis de encontrar em perfumarias e drogarias. As empresas sabem que os consumidores estão se preocupando com questão que antes não eram o centro da atenção, então os produtos são elaborados pensando nisso. O álcool pode ser presente em composições de 3 a até 60% na maioria das vezes! Se eu não tivesse um produto de 45% álcool eu não acreditaria.

Desde que eu parei de usar meu adstringente com álcool eu notei uma melhora até mesmo nas minhas linhas finas de expressão. Achei a pele menos oleosa e mais saudável. Quem diria que um produto pra tirar o óleo do rosto estaria causando mais oleosidade na minha pele? Fica a dica preciosa pra vocês!